Guimarães – Cidade Berço

A cidade de Guimarães, “Cidade Berço”, onde, dizem, nasceu o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, é uma local histórica, de origem medieval, que se revelou fundamental para fundação de Portugal, sobretudo graças ao papel que desempenhou durante o processo de conquistas e reconquistas territoriais.

Possui um centro histórico muito rico, classificado como Património da Humanidade pela UNESCO e é atualmente a Capital Europeia da Cultura 2012, um atrativo mais que deve pesar na hora de pensar uma visita a esta linda cidade minhota.

Desde jardins a palácios, Guimarães é um ponto turístico adorado por quem vive e visita terras lusitanas, uma cidade cheia de história e tradições, voltada para o futuro.

PONTOS TURÍSTICOS

Paço dos Duques de Bragança

Mandado construir no século XV por D. Afonso I, primeiro Duque de Bragança, aquando do seu casamento com D. Constança de Noronha, é considerado Monumento Nacional desde 1910 e integra a rede do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC).

Lá pode encontrar, por exemplo, capelas assentes em colunas torneadas com figuras góticas e manuelinas. Durante a visita encontra ainda janelas retangulares também maineladas, chaminés de tubo alto e telhados em “tesoura”.

As grandes salas são revestidas de tapeçarias flamengas e francesas, do tempo dos Descobrimentos, e contêm porcelanas da Companhia das Índias, armas e mobiliário da época que sucedeu aos descobrimentos portugueses.

Castelo de Guimarães

Local onde nasceu D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, este terá lutado aqui pela independência de Portugal.

Mais tarde, em 1838, D. João I, em 1389, após uma batalha com Castela, procedeu a obras para reforçar a defesa do local. A partir daí, a cidade terá passado a denominar-se Guimarães. No entanto, nesse ano, o local perde a importância militar e passa a funcionar como prisão.

Em 1881, no reinado de D. Luís, o castelo é classificado como Monumento Histórico de Primeira Classe.

Igreja de São Francisco

Este é um ponto turístico de raiz gótica, cuja estrutura sofreu alterações, principalmente no século XVIII.

A capela-mor está repleta de arte joanina de Guimarães, de talha dourada e sanefas de estilo rocaille, conjugadas com azulejos do séc. XVIII e um chafariz do século XVIII.

A sacristia da igreja tem um teto com painéis pintados e um claustro (arquitetura típica dos mosteiros, local onde moravam os monges) de dois pisos, construída no final do século XVI, por um arquiteto natural de Guimarães.

GASTRONOMIA

Rojões

Parte da carne de porco frita em banha em banha e servida com batata cozida. É uma comida muito servida nesta zona e de degustação obrigatória se quer provar as delícias do norte.

Arroz Pica no Chão

Nesta zona chamada arroz pica no chão, é denominada, também, de arroz de cabidela no Porto. É um simples arroz de frango, ao qual se junta o sangue do galo, misturado em vinagre. Tem uma cor acastanhada e faz as delícias de quem a prova.

FESTIVIDADES

Festas da Cidade e Gualterianas

São as maiores festas de cidade e decorrem durante quatro dias. São compostas por vários concertos e música, enchendo as ruas de animação. É um marco centenário e decorrem no primeiro fim-de-semana de agosto.

As Nicolinas

Festa organizada pelos alunos do Liceu de Guimarães, mas esperada por toda a cidade vimaranense. É uma homenagem a São Nicolau de Mira e decorre entre 29 de Novembro e 7 de dezembro. Alunos e ex-alunos juntam-se e comem nos vários restaurantes do centro da cidade. Posteriormente juntam-se no Campo de São Mamede e desfilam no cortejo do Pinheiro pelas ruas principais de Guimarães, ao som dos bombos que reproduzem “Toques Nicolinos”.

Comentar