O Seguro de Viagem

Está a preparar a sua viagem. Já escolheu o destino, já reservou lugar num voo de avião e já tem um quarto à sua espera num bom hotel. Até já pensou em tudo aquilo que gostaria de fazer quando chegar, os locais a visitar, a melhor forma de se deslocar por lá, os sítios onde possivelmente irá comer. Mas, responda a esta pergunta: tratou do seu seguro de viagem?

A maioria de nós deixamos este detalhe um pouco de parte. Quem está prestes a partir para umas merecidas férias ou para assistir a um compromisso social ou profissional raramente guarda tempo para pensar nas coisas desagradáveis que podem acontecer quando se está longe de casa.

Infelizmente, elas, as coisas desagradáveis, acontecem mesmo e nos momentos mais inesperados! Por isso é essencial tratar de um seguro de viagem antes de partir, algo que lhe possa assegurar que, em caso de algum problema, tenha uma porta onde bater.

A verdade é que a maioria das agências de viagens oferecem este serviço e o incluem nos pacotes que vendem, mas convém sempre perguntar se o seguro está de facto incluído e, em caso afirmativo, quais são as situações que cobre e os valores dos capitais em causa. Caso esteja a tratar da sua viagem através de um operador online tenha sempre em atenção as opções de seguro que surgem durante o processo de reserva.

Que tipo de seguro de viagem escolho?

O mais comum será optar por um seguro de assistência em viagem que lhe vai cobrir custos médicos, farmacêuticos, de transporte e repatriamento de feridos ou doentes e inclusive a deslocação de um familiar se se der o caso de uma hospitalização prolongada. Um seguro de assistência em viagem deverá também prever despesas com crianças no caso de falecimento ou hospitalização do segurado, localização e transporte de bagagens e adiantamento de dinheiro para artigos essenciais. As coberturas são, normalmente, válidas em qualquer parte do Mundo e independentemente do meio de transporte utilizado para viajar.

Lembre-se, no entanto, que caso esteja a viajar para um país da União Europeia ou para a Islândia, o Liechtenstein, a Noruega ou a Suíça, basta levar o Cartão Europeu de Seguro de Doença para poder ter acesso aos serviços públicos de saúde e evitar assim um seguro de viagem com cobertura de assistência média. Pode pedir o cartão, com antecedência, na Segurança Social ou na ADSE. Se tiver um seguro de saúde privado avise a companhia antes de partir de forma a que, em caso de necessidade, as despesas médicas possam ser pagas.

Dentro do campo dos seguros de viagens têm ainda duas outras opções possíveis: o seguro de bagagem e o seguro de reserva. O primeiro cobre, normalmente, valores que não ultrapassam os 700 Euros, excluem dinheiro e cheques e só podem ser activados quando a bagagem está a cargo da companhia aérea ou do hotel.

O seguro de reserva pode ser interessante no caso de estar a preparar a sua viagem com alguma antecedência e a sua finalidade é recuperar o dinheiro que pagou caso tenha que cancelar a viagem por algum motivo imprevisto.

A conclusão é que, mesmo que olhemos para estes produtos com alguma condescendência, devemos sempre tê-los em considerarão e perder alguns minutos a analisar a nossa situação particular porque, como diz o povo na sua imensa sabedoria, mais vale prevenir do que remediar.

Comentar